• SIMDE

SIMDE PARTICIPA DE REUNIÃO DO CONSELHO DA FIESP



O 1° Vice-Presidente do SIMDE, Brigadeiro Wilson Romão, participou ontem, 27 de abril de reunião do Conselho de Representantes da FIESP, representando o diretor-presidente do SIMDE, Carlos Erane de Aguiar, ocasião em que foi tratada a questão da pandemia do coronavirus.

Na oportunidade o presidente da FIESP, Paulo Skaf relatou que nesses últimos tempos, tem sido muito assediado para dar opiniões e iniciou o encontro com uma mensagem muito importante: “Não discuto e não opino política durante a pandemia. Me preocupo com dois temas importantes – saúde e economia.” Pediu, inclusive, que os diretores ali presentes que fizessem o mesmo.

Afirmou que o objetivo, hoje, é cuidar dos empregos, empresas e saúde, principalmente dos trabalhadores. Solicitou a todos os diretores para que façam o máximo que puderem pela saúde, por ser a área que mais necessita de apoio de todos, não só dos órgãos públicos como da iniciativa privada. Além disso, enfatizou que as ações devem compreender responsabilidade e serenidade

Após a introdução, Skaf falou sobre o plano de retomada proposto pela FIESP (já enviado para as nossas associadas) e registrou o envio para todos os governadores e prefeitos do brasil, bem como órgãos afins do governo federal.

Fiesp não é política. Fez um comentário de que esse programa tem tido acima de 80% de aprovação nas redes sociais, inclusive por prefeituras do Brasil que já estão entrando em contato com a Federação pedindo a permissão para usar o plano adaptado a cada município, dado o seu grau de estruturação. Nesse sentido foi aberta uma frente de apoio às prefeituras que precisarem de ajuda para adaptação do plano para cada realidade.

Depois entrou nas ações que vem sendo tomadas – federal, estadual e municipal

Federal – todas as solicitações da indústria vem sendo estudada e aceitas

Municípios – ISS / IPTU

Sensibilidade por parte dos municípios e a coisa vem sendo administrada com tranquilidade

Para alguns municípios intransigentes tem sido necessária ações na justiça

Governo do Estado de São Paulo – não aceita discutir flexibilização sobre ICMS e além de não permitir isso, continua cobrando multa e juros. Preocupa muito essa atitude de falta de sensibilidade

Abordou ainda a parte de financiamento / crédito. Mencionou sobre o crédito da folha de pagamento, inclusive acha que vai ser muito difícil a adesão pois é autorizado dois salários mínimos por funcionário. É pouco e é só é permitido ser usado na folha de pagamento. E as empresas tem enfrentado outras dificuldades.

Hoje, 29/04 está sendo feita pesquisa para saber se houve alguma mudança no que tange crédito para fluxo de caixa.

Ainda sobre o Plano de retomada – plano não caiu do céu. Foi difundido no dia 19, fruto de análise dos planos de 14 países. A FIESP se inspirou nesses planos e aplicou à realidade brasileira.

Se aplica tanto ao doméstico (vida pessoal), empresarial, escritórios, shoppings, varejo de rua, escolas. Esse Plano, se adequadamente adaptado, serve para todas as áreas de atividade.

A opinião é a de que a Covid vai ficar por um ano e meio até que tenhamos uma vacina

Sesi e Senai – fabricação de produtos

Máscaras em grande quantidade tem sido feitas pelo Senai, gratuitas para hospitais públicos

Campanha na TV para uso da máscara. Nessa mesma linha produzem álcool em gel e vários EPIS hospitalares.

Pediu apoio dos diretores sindicais para tentar identificar empresas ou organizações que possam nos ajudar em trazer essas necessidades para que façamos que funcione como uma corrente.

Diz que a indústria tem que dar o tom da atividade econômica para a área pública. Nos concentrando para não deixar a economia parar.

Com respeito ao programa de retomada  eles decidiram instalar em forma de um sistema baseado em tecnologia da informação, onde a empresa vai se cadastrar, vai receber o número de cadastro e vai contar com o apoio da FIESP para saber como vai retomar sua atividade de forma específica – Brasil todo.

Como as escolas estão paradas, FIESP uniu esforços com o Sesi e começaram a produzir 230 mil refeições por dia, que são levadas a comunidades carentes – Paraisópolis no último sábado. Sistema logístico complicado. Prevê 4 e 5 milhões de refeições gratuitas até o final da pandemia. Setor privado sem burocracia agindo. Pede que identifiquemos empresas sérias e respeitáveis que possam ajudar nesse assunto de alimentação no Estado de são Paulo como um todo. Não vamos resolver o problema mas faremos a diferença para alguém.

Senai está trabalhando na recuperação de respiradores. Vários já foram devolvidos a hospitais, de maneira gratuita e a quantidade vem crescendo. Também ajudando nos projetos de novos respiradores de baixo custo.

Se alguém precisar de reparos a respiradores, procurar a FIESP (Professor Terra) e, no caso de auxílio com as demandas relacionadas a alimentação –  Alexandre.

Também estão distribuindo álcool em gel de 275ml nas comunidades. Ação definida pela iniciativa privada, que agiliza o processo.

Na área trabalhista, foi bem recebida decisão do STF, que finalmente aprovou o que estava na MP 10486 do Presidente Jair Bolsonaro, que regulamenta parte operacional relacionada a redução de salário e jornada por 2 meses

Fiesp vai entrar com processos em cada município que não estiver atendendo as necessidades do setor industrial – ação coletiva.

Energia elétrica

Impossível fazer ação coletiva. Cada empresa tem um contrato assinado com a distribuidora, então cada uma vai ter que entrar. Vale lembrar que não cabe ICMS sobre a energia não consumida.

Houve uma pergunta: Como estava o envolvimento da FIESP sobre a decisão da Boeing de cancelar a negociação com a Embraer. Fiesp não está agindo, mas já se colocou à disposição da Embraer, se achar necessário.


0 visualização

Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 3421

Cj. 613 e 614 - Jardim Paulista

01401-001 São Paulo - SP

(11) 2935-0510

simde@simde.org.br

  • Ícone do Linkedin Branco
  • Ícone do Facebook Branco
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
Associe-se!