Premio Mursa logo.png

O SIMDE homenageia um dos pioneiros da Indústria Brasileira de Defesa, dando seu nome ao prêmio com o qual o Sindicato irá distinguir, a partir desse ano, as personalidades da Indústria e Governamentais que se destacam em prol do desenvolvimento do setor de Defesa e Segurança na economia brasileira.


O General Joaquim de Souza Mursa foi designado em 1865, diretor da Real Fábrica de Ferro São João de Ipanema, primeira metalurgia brasileira. Criada por D. João VI no início do século XIX, a Fábrica era destinada a produção de munições de diversos calibres, armas brancas, além de ferro fundido e outros apetrechos e foi a primeira instalação industrial a produzir material de defesa no Brasil.


O General Mursa assumiu a fábrica às vésperas do início da Guerra do Paraguai, após um período em que ela estivera abandonada. E registrou em seus relatórios: “Quando vim restaurar, ou para melhor dizer, criar este estabelecimento, pois apenas achei ruínas, o falecido Sr. Barão de Uruguaiana, então ministro de Guerra, nas instruções verbais que me deu, repetiu muitas vezes, que o fim da fábrica era produzir para os Arsenais e ser nossa fundição de canhões, projéteis, etc., etc...”. (Relatório à Assembleia Legislativa, 1875).


Entre as inovações implementadas por ele está a redução do tempo na produção de ferro, que passou de 48 horas para apenas 8 horas de trabalho, com a adoção de novos fornos e máquinas. Além das obras de expansão e modernização da fábrica.


Graças à ação administrativa do General Mursa a fábrica foi capaz de suprir parte das necessidades das tropas brasileiras na campanha do Paraguai, e cumprir a missão a qual estava destinada desde a sua fundação.


Foi a primeira vez que indústria e Forças Armadas uniram esforços com a missão de garantir a paz e a independência no território brasileiro.


Atualmente, na região que incluía a emblemática Fazenda Ipanema funciona o Centro Experimental Aramar, um grande polo de tecnologia nuclear da Marinha do Brasil.


Fonte: A fábrica de ferro São João de Ipanema – Nilton Pereira dos Santo;
Soldados e Negociantes na Guerra do Paraguai – Divalte Garcia Figueira