top of page
Buscar

BNDES lança iniciativa para impulsionar a economia azul no Brasil em evento no Navio de Pesquisa Hidroceanográfico


Diretor-Presidente da EMGEPRON, Vice-Almirante Edesio Teixeira Lima Junior; Diretor-Presidente do SIMDE, Diretor Titular do DESEG da FIESP e Vice-Presidente da FIRJAN, Carlos Erane de Aguiar; Ministra do MCTI, Luciana Santos; Ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva; Ex-comandante da Marinha do Brasil, Ilques Barbosa Junior.

Nesta quarta-feira, 24 de janeiro, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou a iniciativa BNDES Azul, com quatro áreas de atuação visando fortalecer a chamada economia azul. Uma das frentes inclui o Planejamento Espacial Marinho (PEM) da costa brasileira, com um contrato já assinado para a Região Sul. Além disso, o BNDES disponibiliza cerca de R$ 22 bilhões para projetos relacionados à economia azul, abrangendo setores como docagem, transporte marítimo, turismo marinho e recuperação de manguezais.

 

O evento de lançamento do BNDES Azul ocorreu no Navio de Pesquisa Hidroceanográfico Vital de Oliveira H-39, com a presença do Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa (SIMDE), representado pelo Diretor-Presidente do sindicato e Diretor Titular do Departamento de Defesa e Segurança da FIESP, Carlos Erane de Aguiar. O Ministro da Defesa, José Mucio Monteiro Filho, a Ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, bem como a Ministra do MCTI, Luciana Santos, também estiveram presentes.

 

O presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, ressaltou a importância de colocar o mar no centro da agenda estratégica nacional para fortalecer a indústria naval e intensificar pesquisas marinhas. A iniciativa busca impulsionar a construção naval, com incentivos à inovação e descarbonização da frota naval. Projetos relacionados à descarbonização podem ter redução na taxa de juros, visando alinhar-se às metas internacionais de redução de emissões.

 

O PEM abrange a Região Sul, com um investimento de R$ 7 milhões e um prazo de 36 meses para concluir o estudo de mapeamento dos usos atuais e potenciais do ambiente marinho. A Região Sudeste também será contemplada, com recursos não reembolsáveis de R$ 12 milhões.

 

O BNDES destaca a importância do setor portuário, oferecendo linhas de financiamento favoráveis para apoiar investimentos portuários, alinhado ao novo ciclo de investimentos no setor, previsto em cerca de R$ 45 bilhões. O Fundo Clima entra em 2024 com a possibilidade de incluir projetos relacionados a recursos hídricos, ampliando os mecanismos para estruturação de projetos ligados à economia azul.

48 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page