Buscar

SIMDE e DESEG recebem Ministro Paulo Alvim em plenária conjunta



Reunião foi realizada na Sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e teve como pauta principal o desenvolvimento científico e tecnológico da Base Industrial de Defesa.


O Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa (SIMDE) e o Departamento de Defesa e Segurança da FIESP (DESEG) receberam, nesta terça-feira (17), o Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Sr. Paulo Cesar Rezende de Carvalho Alvim, para a Reunião Plenária Conjunta na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.

A abertura da reunião foi realizada pelo Diretor-Presidente do SIMDE e Diretor-Titular do DESEG, Carlos Erane de Aguiar, que destacou o papel do Sindicato como articulador institucional e promotor de políticas públicas de interesse da indústria, abordando também a inclusão dos segmentos inorganizados da BID, como empresas do setor aeroespacial, blindagem automotiva e recentemente as de atividades nucleares.

Carlos Erane usou como exemplo diversas tecnologias habituais da sociedade atual que surgiram de esforços da Base Industrial de Defesa, tais como internet, GPS, criptografia, telefone celular, controle do tráfego aéreo, forno de micro-ondas, entre outras, para ilustrar o quanto é importante promover o debate sobre ciência, tecnologia e inovação, visto que o setor é, em suas palavras, “naturalmente vocacionado para a pesquisa e desenvolvimento, permitindo o transbordamento de suas tecnologias para toda a sociedade”.

Carlos Erane de Aguiar, Diretor-Presidente do SIMDE e Diretor-Titular do DESEG.
Carlos Erane de Aguiar, Diretor-Presidente do SIMDE e Diretor-Titular do DESEG.

O Diretor-Presidente do SIMDE finalizou dizendo que as políticas de financiamento à Base Industrial de Defesa e medidas de subvenção para a apoiar a pesquisa do setor são de extrema importância para que haja igualdade de condição com competidores, destacando a dificuldade de avançar com ciência, tecnologia e inovação sem o suporte estatal.

O Ministro Paulo Alvim, em sua palestra, ressaltou a importância estratégica da Base Industrial de Defesa e do desenvolvimento tecnológico para a soberania nacional, destacando que o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação tem trabalhado em conjunto com outras organizações como FINEP, BNDES e EMBRAPII no sentido de promover esse desenvolvimento junto à BID.

Paulo Alvim, Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).
Paulo Alvim, Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

O Sr. Paulo Alvim falou ainda sobre o trabalho que o Ministério tem feito junto ao FNDCT (Fundo Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico) para destinar fundos da área de tecnologia para o setor aeroespacial e de defesa e, em breve, anunciará uma subvenção econômica de cerca de R$ 500 milhões, com a promessa de retornar à FIESP e ao SIMDE para fazer o anúncio.

Após a reunião foi realizado um almoço comemorativo pelos 30 anos do Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa, com a participação das autoridades presentes, diretores do SIMDE e associados.


Associados e autoridades comemoram os 30 anos do Simde com o Ministro do MCTI
Associados e autoridades comemoram os 30 anos do Simde com o Ministro do MCTI

Estiveram presentes na reunião: Dagmar Oswaldo Cupaiolo, Vice-Presidente da FIESP e Diretor Titular Adjunto do DESEG, Major-Brigadeiro do Ar ELVIS, Comandante do Quarto Comando Aéreo Regional, Brigadeiro do Ar Wilson José Romão, 1º Vice-Presidente do SIMDE, General de Divisão ADALMIR, Coordenador Executivo de Conselhos e Departamentos da FIESP, Vice-Almirante GUERREIRO, Presidente da AMAZUL, Tenente-Brigadeiro do Ar AZEVEDO, Diretor Executivo de Projetos da FIESP e Coronel DEMETERCO, Gerente Executivo de Gestão da FIESP. A reunião foi realizada em formato híbrido, com convidados presentes na sede da FIESP e online via videoconferência, com destaque para a participação online do General de Divisão Barroso Magno, Presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP).


Fotos: Karim Kahn/FIESP

6 visualizações0 comentário