top of page
Buscar

SIMDE e DESEG recebem Secretário de Produtos de Defesa, Secretária-Executiva da CAMEX e BNDES



O Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa (SIMDE) e o Departamento de Defesa e Segurança da FIESP (DESEG), receberam nesta quarta-feira (19/04), o Major Brigadeiro do Ar Rui Chagas Mesquita, Secretário de Produtos de Defesa (SEPROD), do Ministério da Defesa, a Sra. Marcela Santos de Carvalho, Secretária-Executiva da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX), e João Paulo Pieroni, Superintendente da Área de Desenvolvimento Produtivo, Inovação e Comércio Exterior do BNDES, para uma Reunião Plenária Conjunta. O evento foi realizado de maneira híbrida, com convidados presentes na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e por videoconferência.


O Diretor-Presidente do SIMDE, Carlos Erane de Aguiar, não pôde comparecer e foi representado por Carlos Frederico Queiroz de Aguiar, membro do Conselho Consultivo do SIMDE. Além disso, estiveram presentes Dagmar Cupaiolo, Vice-Presidente da FIESP e Diretor Adjunto do Departamento, e o General Modesto, chefe do escritório do SISDIA em São Paulo.


Em suas palavras, o novo Secretário de Produtos de Defesa, Major-Brigadeiro do Ar Rui Chagas Mesquita, citou ter como prioridade a estruturação de uma ampla base de dados para melhorar a consciência situacional da Base Industrial de Defesa, a simplificação tributária, o fomento à produtividade e o desenvolvimento tecnológico. O objetivo principal da Seprod é manter o foco no PAED (Plano de Articulação e Equipamento de Defesa) e nas necessidades de produção, emprego e treinamento das Forças Armadas. O Secretário também ressaltou a urgência da simplificação e da isonomia tributária no comércio exterior.


A importância do crédito de exportações foi destacada pela Sra. Marcela Santos de Carvalho, que ressaltou em suas palavras a perda de contratos ganhos e oportunidades pela falta de garantias, tanto em valores altos quanto baixos. De acordo com ela, esse é um problema generalizado em toda a Base Industrial de Defesa (BID), e não apenas nos contratos de grande porte. Além disso, a Secretária-Executiva da CAMEX destacou a necessidade de sincronia entre o governo, os exportadores e a base industrial de defesa como um todo como um todo.


O Superintendente da Área de Desenvolvimento Produtivo, Inovação e Comércio Exterior do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), João Paulo Pieroni, apresentou aos participantes algumas demandas necessárias para o crescimento sustentável do setor. Durante a apresentação, Pieroni enfatizou cinco áreas prioritárias para a Base Industrial de Defesa: pesquisa, desenvolvimento e inovação, encomendas tecnológicas, compras governamentais e exportações. De acordo com o superintendente, investir nessas áreas é fundamental para que o setor possa se desenvolver de maneira sustentável e atender às necessidades do mercado de defesa no futuro.


Durante a plenária, foram apresentados os resultados do Projeto INSURTECH DEFESA, desenvolvido pelo Departamento de Defesa e Segurança da FIESP e o Departamento de Financiamentos e Economia de Defesa (DEPFIN/MD), que oferece solução customizada e disruptiva às demandas de seguros de crédito e garantias para as empresas da Defesa e Segurança, além da cadeia produtiva em geral.


Os participantes também destacaram a importância de manter o equilíbrio entre as vendas para as Forças Armadas, produtos com tecnologia dual para que possam ter receitas de outras fontes e exportações. Eles enfatizaram que a exportação é um desafio, mas é extremamente importante para a expansão da indústria de defesa e segurança.




61 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page