Buscar

SIMDE em Ação | Ministro da Defesa anuncia primeira Fintech de defesa do Mundo em Plenária SIMDE


O SIMDE – Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa em conjunto com o Departamento de Defesa e Segurança da FIESP, realizou nesta quinta-feira, 15 de abril, a Reunião Plenária Conjunta com a participação do Ministro da Defesa Walter Braga Neto, em seu primeiro contato com Base Industrial de Defesa e Segurança após a posse do cargo. Estiveram presentes ainda o Secretário de Produtos de Defesa, Marcos Degaut, o Diretor do DEPFIN - Departamento de Financiamentos e Economia de Defesa, General de Brigada Flávio Neiva e o novo Comandante Militar do Sudeste, General de Exército Tomás Ribeiro Paiva.


O evento híbrido, com autoridades reunidas presencialmente e os demais participantes por videoconferência, contou também com a presença do Presidente da FIESP, Paulo Skaf, para apresentação dos resultados do Grupo de Trabalho Fintech Defesa, 1º projeto conjunto do Acordo de Cooperação Técnica entre o Ministério da Defesa e a FIESP, que conta com o apoio do SIMDE.


Paulo Skaf abriu a reunião agradecendo a presença de expressiva representação da Base Industrial de Defesa e Segurança, ressaltando o trabalho desenvolvido pelo DESEG e SIMDE e enfatizando que a FIESP tem um apreço especial por essa área e por isso tem, ao longo dos anos, servido como elo entre o setor privado, os governos e as Forças Armadas e de Segurança. “O país, já, já, irá superar a crise de saúde provocada pela Covid 19 e voltará a crescer e este crescimento, com certeza, contempla esse estratégico setor de defesa e segurança”.


O Diretor-Presidente do SIMDE e Diretor-Titular do DESEG, Dr. Carlos Erane de Aguiar, destacou o respaldo na defesa legítima dos interesses da Base Industrial de Defesa que sempre foram encontrados na FIESP e no Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa. Ressaltou os feitos do Ministro Braga Neto como Comandante Militar do Leste, Chefe do Estado-Maior do Exército, Ministro-Chefe da Casa Civil e agora Ministro da Defesa que, inclusive, foi agraciado no ano de 2019 com o “Prêmio General Joaquim de Souza Mursa”, do SIMDE, como personalidade do ano de 2018 para a Segurança Pública.


Dr. Carlos agradeceu também o trabalho do Secretário de Produtos de Defesa, Dr. Marcos Degaut, General Flavio Neiva e General Duizit Brito, destacando o trabalho da SEPROD para promover a sustentabilidade da Base Industrial de Defesa, sempre em cooperação com a FIESP e o SIMDE.


O General de Brigada Flávio Neiva, Diretor do DEPFIN, apresentou detalhadamente o 1º projeto conjunto do Acordo de Cooperação Técnica entre o Ministério da Defesa e a FIESP, que tem foco em alternativas de Financiamento para o setor de Defesa em articulação com a iniciativa privada para superar as dificuldades do setor em encontrar linhas financiamento nos bancos tradicionais. Afirmou ainda que em breve haverá o lançamento oficial da Fintech para qual afirmou contar com o SIMDE na articulação das empresas da Base Industrial de Defesa e Segurança.


Em sua fala, o Ministro da Defesa Braga Neto, destacou "A parceria que celebramos hoje entre o MD e a FIESP está no bojo dessa concepção de união de esforços. Ela nasceu em 2020 a partir de uma visão de futuro de nossos antecessores e se consolida neste dia como uma prova inequívoca que o setor público e a iniciativa privada podem e devem andar juntas para o desenvolvimento do país. A FIntech Defesa tem o propósito de fortalecer a Base Industrial de Defesa, salvaguardando não apenas a existência das indústrias de defesa, mas principalmente ajudando a desenvolver o setor que hoje é responsável por 4% do PIB brasileiro, gera cerca de 240 mil empregos diretos e 850 mil empregos indiretos.


Ao inovarmos com o estabelecimento da 1ª Fintech de Defesa do mundo, o Brasil demonstra de forma sólida e cooperativa que compreende a importância de manter a sua Base Industrial de Defesa competitiva e robusta, principalmente em um momento em que o país avança em uma retomada econômica. O fortalecimento da Base Industrial de Defesa é um objetivo do Ministério da Defesa e do governo Bolsonaro e contribui para a recuperação econômica como uma prioridade atual e uma grande preocupação nossa. E, para encerrar, eu gostaria de dar uma boa notícia: hoje nós já temos firmado um investimento, para dentro deste próximo triênio, de 4.5 bilhões de dólares e mais 3 bilhões em negociação.”


Estiveram presentes durante o evento mais de 90 pessoas, entre elas os representantes das empresas associadas ao SIMDE, representantes da Confederação Nacional da Indústria e dos COMDEFESAs estaduais.





"Ao inovarmos com o estabelecimento da 1ª Fintech de Defesa do mundo, o Brasil demonstra de forma sólida e cooperativa que compreende a importância de manter a sua Base Industrial de Defesa competitiva e robusta, principalmente em um momento em que o país avança em uma retomada econômica."

General de Exército Walter Souza Braga Netto

– Ministro de Estado da Defesa



“O país, já, já, irá superar a crise de saúde provocada pela Covid 19 e voltará a crescer e este crescimento, com certeza, contempla esse estratégico setor de defesa e segurança”

Paulo Skaf – Presidente da FIESP




“É importante destacar que, baseado nestes princípios de profissionalismo, institucionalidade e transparência, o COMDEFESA e o SIMDE têm a missão de propiciar um ambiente saudável de cooperação entre Forças Armadas, Forças de Segurança e a Base Industrial de Defesa. Assim, estas reuniões conjuntas têm sido palco para os mais importantes debates da nação sobre defesa e segurança, gerando alternativas e soluções para os problemas vividos.”

Carlos Erane de Aguiar – Diretor-Presidente do SIMDE e Diretor Titular do DESEG



“Se a história nos ensina alguma coisa, é a lição de que, historicamente, os países que são fortes, desenvolvidos, foram forjados em cima de sua Base Industrial de Defesa e tem como eixo principal de sua política interna, a proteção e o fomento dessa Base Industrial de Defesa.”

Marcos Degaut – Secretário de Produtos de Defesa (SEPROD)



“Tudo parte do entendimento que a sustentabilidade da Base Industrial de Defesa, na verdade, gera soberania ao país. Eu não vou nem entrar na discussão do valor agregado ao produto e nas capacidades tecnológicas geradas por isso, mas como resultado final, uma Base Industrial de Defesa forte, nos gera um país soberano. ”

General de Brigada Flávio Neiva – Diretor do Departamento de Financiamentos e Economia de Defesa (DEPFIN)

103 visualizações0 comentário